segunda-feira, 6 de julho de 2015

Melendez é flagrado em exame antidoping após derrota no UFC 188

Americano, superado por Eddie Alvarez, é suspenso por um ano após testar positivo para "metabólitos de testosterona de origem exógena" e está fora da luta com Iaquinta.

Foto: Getty Images

O peso-leve Gilbert Melendez foi flagrado em exame antidoping realizado após o UFC 188, no dia 13 de junho, por uso de "metabólitos de testosterona de origem exógena", de acordo com comunicado divulgado pelo Ultimate nesta segunda-feira. Na ocasião, o americano saiu derrotado por Eddie Alvarez por decisão dividida. O atleta foi suspenso por um ano com vigência a partir da data do combate.

Melendez enfrentaria Al Iaquinta no co-evento principal do UFC: Mir x Duffee, no dia 15 de julho, em San Diego (EUA). Agora, o Ultimate busca um novo oponente para Iaquinta.

Leia o comunicado do UFC na íntegra:

"Depois de sua luta no UFC 188, na Cidade do México, no dia 13 de junho, o peso-leve do UFC Gilbert Melendez testou positivo para metabólitos de testosterona de origem exógena. O UFC tem uma política rígida e consistente contra o uso de quaisquer substâncias ilegais e/ou de aumento de performance, estimulandes ou agentes mascarantes pelos nossos atletas. Como resultado do exame positivo, Melendez aceitou uma suspensão de um ano, com vigência a partir da data da luta, por violar a Política de Conduta do Lutador do UFC e o Acordo Promocional com a Zuffa, LLC.

- Infelizmente, eu testei positivo no meu exame de urina pós luta para o UFC 188. Não injetei nada, mas sou responsável e aceito as consequências pelos resultados. Vou me certificar de que estarei melhor educato sobre os produtos que uso e suas implicações. Daqui para frente, vou garantir que não usarei produtos que contenham substâncias proibidas. Peço sinceras desculpas a todos que me apoiam, incluindo meus fãs, patrocinadores e o UFC. Valorizo a sua confiança e respeito e farei tudo que estier ao meu alcance - disse Melendez.

Melendez deixará de competir, como previsto, no evento do dia 15 de julho. Funcionários do UFC estão procurando um novo oponente para Al Iaquinta, que enfrentaria Melendez."

---
Via: Combate

 

Ninja?!

 

domingo, 5 de julho de 2015

XFCi 10: Daniel Virginio e Viviane Sucuri conquistam títulos em noite histórica

Na inauguração do XFC International Center, público presencia grandes confrontos; Franquia não continuará parceria com a RedeTV.

Foto: Marcelo Franco/Divulgação XFC

A noite deste sábado, dia 4 de julho, ficará marcada na história do XFC no Brasil. Na inauguração do XFC International Center, no bairro da Casa Verde, em São Paulo, a organização coroou Daniel Virginio e Viviane Sucuri como campeões dos torneios da segunda temporada. Os brasileiros derrotaram, respectivamente, o norte-americano James Gray, na categoria peso-galo (até 61,2kg) e a finlandesa Vuokko Katainen, na categoria peso-palha feminina (até 52,2kg), e ficaram com as medalhas de ouro. Virginio, que nocauteou Gray no primeiro round, foi anunciado para lutar pelo cinturão contra Fernando Vieira, em data ainda a ser anunciada.

Além dos dois campeões, também foram definidas mais duas finais de torneios: entre os pesos-leves (até 70,3kg), Willian Cilli finalizou o egípcio Mohamed Badawy no primeiro assalto e vai enfrentar Fernando dos Santos, que derrotou Rubenilton Pereira na decisão unânime dos juízes laterais. Pelos penas (até 65,8kg), Guilherme Faria e Missael Silva vão se enfrentar na final. Faria e Missael venceram Ranfi Rivas e Pedro Falcão, respectivamente, na decisão unânime dos juízes.

"Foram lutas ótimas, que engrandeceram uma noite muito especial para o XFC", analisou o presidente Myron Molotky. "O público presente se encantou com o evento, com a nossa filosofia e lutadores, e quem assistiu pela transmissão pode ver como nos preocupamos com os mínimos detalhes. Dentro do hexágono, Daniel Virginio conseguiu um grande feito ao derrotar um lutador que nunca havia passado do primeiro round em mais de 15 lutas entre profissional e amador, que é o James Gray. Ele merece a disputa de cinturão". 

XFCi 10 marca fim da parceria com a RedeTV

Depois de um ano e cinco meses, chegou ao fim a parceria entre XFC e RedeTV. "Agradecemos a parceira com a RedeTV, que nos permitiu entrar no mercado brasileiro e mostrar o evento ao público pela TV aberta. Demos à emissora uma grande oportunidade de criar um público fã de MMA, de exibir grandes lutas e grandes shows. Foi uma parceria proveitosa para ambos os lados, mas agora queremos crescer ainda mais e continuar mostrando nosso comprometimento com o Brasil", afirmou Myron Molotky. A franquia vai anunciar novidades em breve.

Virginio estraga festa de norte-americano em feriado histórico

O dia 4 de julho é um dos três feriados mais importantes dos Estados Unidos. No mesmo patamar do Natal e Ação de Graças, o Dia da Independência era a motivação de James Gray para chegar à final do torneio peso-galo do XFC contra Daniel Virginio. Gray chegou a conseguir a queda e a montada, e por pouco não finalizou numa chave de braço. Quando Virginio se levantou, já encaixou um belo soco em cheio, levando o adversário a knockdown, e encerrou a luta com uma sequência de golpes por cima, aplicando o nocaute técnico. 

"Eu sabia que o James ia tentar me colocar no chão o tempo inteiro e, por isso, vim preparado", analisou Virginio. "Esse título é resultado de muito trabalho, treinei todas as finalizações que ele gosta de fazer, sabia que se caísse numa situação difícil iria conseguir sair. Sabia também que se ficasse mais algum tempo em pé, trocando, iria nocautear. Estou muito feliz e ansioso para disputar o cinturão".

Viviane Sucuri vence luta dura contra finlandesa

Em uma luta muito estratégica, Viviane Sucuri e Vuokko Katainen dividiram opiniões do público. No primeiro round, a luta se manteve agarrada com ambas buscando o clinche, e no segundo assalto a brasileira conseguiu quedar com a guarda passada, e por pouco não encaixou uma guilhotina. A finlandesa, de forma muito técnica, inverteu a posição e trabalhou por cima no ground and pound até soar o gongo salvador. A mesma situação se repetiu no terceiro round, com Viviane derrubando e Vuokko invertendo para golpear por cima, mas na decisão unânime dos juízes a brasileira foi considerada vencedora por maior volume.

Guilherme Faria e Willian Cilli se destacam nas semifinais

Entre os semifinalistas dos torneios da segunda temporada, destaque para Guilherme Faria e Willian Cilli. Farias protagonizou a melhor luta da noite, contra o venezuelano Ranfi Rivas, abusando dos chutes baixos, marcando a perna do adversário, e com momentos de trocação franca. A vitória clara, na decisão unânime dos juízes, foi elogiada pela diretoria do XFC. Cilli, um especialista em muay thai, conseguiu sua segunda finalização seguida no evento, desta vez sobre o egípcio Mohamed Badawy, ainda no primeiro round, com um mata-leão.

XFCi 10 - Night of Champions

Resultados oficiais

Até 61,2kg: Daniel Virginio venceu James Gray por nocaute técnico aos 3min e 59seg do primeiro round - Final do torneio peso-galo 
Até 52,2kg: Viviane Pereira venceu Vuokko Katainen na decisão unânime dos juízes laterais - Final do torneio peso-palha 
Até 65,7kg: Guilherme Faria venceu Ranfi Rivas na decisão unânime dos juízes laterais - Semifinal do torneio peso-pena (RedeTV! e TerraTV)
Até 70,3kg: Willian Cili finalizou Mohamed Hassan Badawy com um mata-leão aos 4min e 13seg do primeiro round - Semifinal do torneio peso-leve 
Até 65,7kg: Missael Silva venceu Pedro Falcão na decisão unânime dos juízes laterais - Semifinal do torneio peso-pena 
Até 70,3kg: Fernando dos Santos venceu Rubenilton Pereira na decisão unânime dos juízes laterais - Semifinal do torneio peso-leve

 

sábado, 4 de julho de 2015

Fim de papo

 

XFCi 10 define campeões da segunda temporada em noite de duelos decisivos

Evento deste sábado, dia 4 de julho, conta com quatro semifinais de torneio, além de duas decisões entre Daniel Virginio x James Gray e Viviane Pereira x Vuokko Katainen.

Foto: Carol Correia/Divulgação XFC

O XFCi 10 Night of Champions encerra a segunda temporada dos eventos da franquia em território brasileiro só com duelos decisivos, entre finais e semifinais dos torneios. Nesta sexta-feira, a pesagem oficial marcou também a inauguração do novo centro internacional da franquia, o XFC International Center, que será palco do evento deste sábado, dia 4 de julho. Os destaques são os embates entre Daniel Virginio e James Gray valendo o título do torneio dos galos (até 61,2kg), e o confronto da cearense Viviane Sucuri com a finlandesa Vuokko Katainen, que coloca em jogo a medalha de ouro da categoria peso-palha (até 52,2kg). O evento terá início às 22h40 e será transmitido ao vivo pelo Terra TV, e a partir de 00h30, também ao vivo na RedeTV!.

Na pesagem oficial, os protagonistas da noite Daniel Virginio e James Gray não tiveram problemas com a balança e marcaram os 61,2kg limites da categoria dos galos. Uma das representantes do outro duelo valendo o título do torneio na categoria peso-palha, Vuokko Katainen não conseguiu atingir o limite de 52,2kg e ficou cerca de 1kg acima, sendo multada em 50% da bolsa, repassada à sua adversária Viviane Sucuri, que bateu pouco menos de 52kg, abaixo do limite da divisão. Nos demais combates, apenas o egipcio Mohamed Badawy, que enfrenta o brasileiro Willian Cili, ultrapassou em 1,8kg o limite da categoria peso-leve e também foi multado em 50% da bolsa, repassada ao seu oponente.

XFCi 10 - Night of Champions

Sábado, 4 de julho de 2015
Local: XFC International Center
Endereço: Rua Doutor de Mello Nogueira, 90 - Casa Verde (SP)
Entrada exclusiva para convidados
Transmissão: Terra TV (22h40) e RedeTV! (0h30 de sábado para domingo)

Card de Lutas

Até 61,2kg: James Gray (EUA) (61,2kg) x Daniel Virginio (BRA) (61,2kg) - Final do torneio peso-galo (RedeTV! e TerraTV)
Até 52,2kg: Vuokko Katainen (FIN) (53,1kg) x Viviane Pereira (BRA) (51,6kg) - Final do torneio peso-palha (RedeTV! e TerraTV)
Até 65,7kg: Ranfi Rivas (VEN) (65,8kg) x Guilherme Faria (BRA) (66kg) - Semifinal do torneio peso-pena (RedeTV! e TerraTV)
Até 70,3kg: Mohamed Hassan Badawy (EGY) (72,1kg) x Willian Cili (BRA) (70,3kg) - Semifinal do torneio peso-leve (RedeTV! e TerraTV)
Até 65,7kg: Missael Silva (BRA) (65,8kg) x Pedro Falcão (BRA) (65,8kg) - Semifinal do torneio peso-pena (TerraTV)
Até 70,3kg: Fernando dos Santos (70,3kg) x Rubenilton Pereira (BRA) (70,2kg) - Semifinal do torneio peso-leve (TerraTV)

 

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Belos K.Os

 

NOTA OFICIAL: José Aldo comenta fratura na costela que o tirou do UFC 189

Atleta se manifesta oficialmente após ser retirado da luta contra Conor McGregor, que seria realizada no dia 11 de julho.

Tomografia com imagens constatando a fratura

No último 23 de junho, às 11h30 da manhã, o campeão peso-pena do UFC, José Aldo Junior, realizava treino de sparing na academia Nova União quando foi atingido por um golpe de um companheiro e sofreu uma fratura na costela. Segundo laudo da Clínica de Diagnóstico Por Imagem (CDPI), localizada no Rio de Janeiro, confirmado pelo Dr. Rickson Moraes, ficou constatado, por resultado de tomografia, uma "fratura bem coaptada da junção costo-condral do arco costal". Nesta terça-feira, dia 30 de junho, foi oficializada sua saída da luta contra o irlandês Conor McGregor, prevista para o dia 11 de julho, em Las Vegas, nos Estados Unidos, por conta da lesão.

Sobre o fato, o campeão José Aldo vem por meio desta nota oficial esclarecer o ocorrido.

"Durante três meses, diariamente, realizei três períodos de treinamento. Investi meu tempo e dinheiro, trazendo parceiros de treino, tanto do país quanto de fora, para realizar o melhor camp da minha vida e estar pronto para defender, pela oitava vez, o meu cinturão no dia 11 de julho. Infelizmente, sofri uma fratura na costela durante um treino, que está comprovada por laudo oficial, e apesar de fazer todo o possível para lutar, fui obrigado ao contrário e isso me entristeceu muito. Somente eu, minha família, treinadores e companheiros sabemos quanto eu me esforcei para representar o Brasil novamente.

A decisão foi tomada em respeito aos fãs e ao UFC, que hoje me consideram o melhor lutador peso-por-peso do mundo. Eu não poderia lutar sem ter 100% das minhas condições físicas e com uma fratura na costela que poderia se agravar caso sofresse um golpe no local. Muitas pessoas me disseram para lutar mesmo assim, por conta do dinheiro que poderia ganhar, mas não me venderia por quantia alguma, seja ela qual fosse. Luto por amor ao que eu faço e pelo meu país. O dinheiro, para mim, vem em segundo plano, é igual sombra: quando você tenta pegar, não consegue, mas quando você anda para frente, ele te segue. O dinheiro acaba em algum momento, mas o legado de conquistas ficará para a história, e é isso que mais valorizo.

Sou campeão do UFC desde abril de 2011, defendi meu cinturão sete vezes em quatro anos, e farei a oitava defesa ainda em 2015, uma média de duas lutas de título por ano. Isto sem contar o WEC, evento de propriedade da Zuffa, assim como o Ultimate, e do qual fui campeão em 2009 para depois colocar o cinturão em jogo por mais duas vezes em menos de um ano. Por isso, não posso concordar com a decisão do UFC em ter um campeão interino da minha categoria, justificando isso com as cinco oportunidades que não pude defender o cinturão.

Caso essas lutas tivessem ocorrido, eu teria feito, apenas no UFC, 12 lutas de título em quatro anos, com uma média de três disputas por ano, uma média que nenhum campeão teve. Raramente algum fez três defesas em um ano. Então, esse não pode ser o motivo principal para ser dado um título interino, mas como o UFC é uma empresa privada da qual sou contratado, não posso reclamar das suas decisões, mas nem por isso posso dizer que concordo.

Com relação ao meu adversário, que falou para eu me apresentar para a luta como homem, não posso falar nada sobre um cara que imita na vida um personagem de série de TV (o ator Travis Fimmel, da série Vikings). Esse é realmente quem ele realmente queria ser, porque deve ter vergonha de ser quem é de verdade, tanto que imita as falas, jeito de ser e tatuagens desse ator. Ele é um artista, mas não das artes marciais, e sim de comédia barata. É até um desrespeito com o ator e, principalmente, com atletas de verdade. Ele deveria procurar um palco e não um octógono. O octógono é meu reino e lá só existe espaço para um rei, que sou eu, e se ele quiser participar, vai ter que ser como bobo da corte que já é.

Se vencer o Chad Mendes, a única coisa que ele terá será um cinturão de brinquedo para mostrar aos amigos, bêbado nos bares do país dele, porque é isso que um título interino representa para mim: um brinquedo. O campeão sou eu".