sábado, 30 de maio de 2015

Card oficial UFC Fight Night 67 - Carlos Condit vs. Thiago Alves


Card Principal
Carlos Condit vs. Thiago Alves
Nik Lentz vs. Charles Oliveira
K.J. Noons vs. Alex Oliveira
Francimar Barroso vs. Canadá Ryan Jimmo
Francisco Trinaldo vs. Norman Parke
Wendell Oliveira vs. Darren Till

Card Preliminar
Rony Jason vs. Damon Jackson
Jussier Formiga vs. Wilson Reis
Elizeu Zaleski vs. Nicolas Dalby
Lucas Martins vs. Mirsad Bektic

Card Preliminar (UFC Fight Pass)
Brasil Juliana Lima vs. Brasil Ericka Almeida
Luiz Dutra Jr vs. Inglaterra Tom Breese

 

Vídeo pesagem UFC Fight Night 67 - Carlos Condit vs. Thiago Alves

Confira o vídeo da pesagem completa:

 

Aldo treinando para a luta contra o McGregor

 

sexta-feira, 29 de maio de 2015

José Aldo faz alegria de crianças em inauguração de projeto social no Rio de Janeiro

No Complexo da Maré, campeão do UFC lança Escola de Lutas José Aldo; projeto passa a atender centenas de crianças carentes da região.

Foto: Felipe Fiorito

A manhã desta sexta-feira, dia 29 de maio, marcou uma sensação especial para o lutador José Aldo. No Complexo da Maré, Zona Norte do Rio de Janeiro, o campeão peso-pena (até 65,7kg) do UFC inaugurou seu projeto social, a Escola de Lutas José Aldo, que leva a filosofia das artes marciais para centenas de crianças carentes da região em treinos de jiu-jitsu, judô, boxe e luta olímpica. Os treinos acontecem na Associação de Moradores do Conjunto Esperança , e o projeto é uma parceria entre o lutador e Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje).

Na cerimônia de inauguração, José Aldo recebeu o carinho de cerca de 200 crianças, que puderam conhecer pessoalmente o campeão, compartilhar histórias de vida e registrar o momento em fotos. André Pederneiras, diretor-geral do projeto, líder da equipe Nova União e treinador do lutador, e o secretário Marco Antônio Cabral também marcaram presença no evento.

"É uma honra inaugurar um projeto como esse, que vai ajudar tantas crianças. Também sou de origem humilde, sei as dificuldades que esses jovens encaram, então tenho certeza que a Escola de Lutas vai ajudá-los muito, seja para ser um atleta profissional ou um cidadão de bem. Estou muito feliz", contou José Aldo, que durante todo o evento foi cercado pelos alunos. "Esse carinho é muito bom, renova minhas baterias para seguir nos treinos para minha próxima luta".

Atual número 1 do ranking peso por peso do UFC, José Aldo defende seu título no dia 11 de julho, em Las Vegas, no UFC 189. O desafiante da vez é o irlandês Conor McGregor, no que será a nona vez que o brasileiro colocará o cinturão da categoria peso-pena em disputa.

Presença do campeão anima jovens

A Escola de Lutas José Aldo terá treinos para jovens entre 8 e 16 anos comandados por Daniel Piratiev, coordenador do projeto e treinador da Seleção Brasileira de luta olímpica e da Nova União. Além dos treinos, a filosofia das artes marciais - dedicação, disciplina e respeito - será levada aos alunos.

Morador da região, Rubens de Carvalho, de 16 anos, é um dos jovens atendidos pelo projeto. Animado com a presença do atual melhor lutador de MMA do mundo e com as aulas de jiu-jitsu que terá, ele comemora. "Vou fazer aulas para pegar todo o aprendizado possível. Para quem mora em comunidade, não vemos tantas oportunidades assim, por isso, o projeto é muito bacana".

Os alunos da Escola de Lutas José Aldo terão aulas diárias de jiu-jitsu, judô, boxe e luta olímpica, das 8h às 17h, de segunda a sexta. O ginásio da Associação de Moradores, local dos treinos, fica no polo de desenvolvimento do Complexo da Maré.

 

Francimar Bodão luta por vitória em homenagem às vítimas de cheia no Acre

Lutador meio-pesado da Nova União quer dar alegria aos conterrâneos que sofreram com cheia do Rio Acre, em março deste ano.

O lutador da Nova União busca a 17ª vitória na carreira / Foto: Divulgação/UFC

Além da vontade natural de vencer, Francimar Bodão carrega um sentimento extra para o combate deste sábado, dia 30 de maio, pelo UFC Fight Night 67. Natural de Xarupi, cidade do Acre e que fica a 175km da capital Rio Branco, o lutador meio-pesado (93,3kg) da Nova União quer a vitória sobre Ryan Jimmo para homenagear às vítimas da cheia do Rio Acre, que desabrigou milhares de moradores de sua cidade natal em março deste ano. Na ocasião, Bodão estava no Rio de Janeiro, em preparação para o duelo que acontece em Goiânia, capital de Goiás. 

Aos 35 anos, o atleta se prepara para a 21ª luta no cartel profissional. São 16 vitórias e apenas quatro derrotas em dez anos de carreira. Na última vez que subiu no octógono, amargou um polêmico revés por decisão dividida dos juízes laterais diante Hans Stringer, em março de 2014. Para voltar a vencer, o xapuriense se inspira nas histórias de superação de seus conterrâneos.

"Sei que a minha luta será difícil, mas vou buscar essa vitória por todos de Xarupi. Eles passaram por um período muito difícil com as enchentes, metade do Acre sofreu na pele essa tragédia, e muitas famílias perderam tudo. Nosso povo é guerreiro e tenho certeza que daremos a volta por cima. É o mesmo que vai acontecer comigo no UFC. Perdi minha última luta, mas me preparei para vencer esse combate e vou dedicar a vitória ao meu povo", conta o lutador.

Há pouco mais de um ano sem lutar, Francimar Bodão não esconde a felicidade por retornar à ativa. Para minimizar a falta de ritmo de luta, ele exerceu papel importante na preparação de Thales Leites, seu companheiro de Nova União. Escalado para encarar Ovince St. Preux no UFC Fight Night 56, em novembro do ano passado, Bodão teve que esperar mais para lutar novamente após o oponente ser remanejado para encarar Mauricio Shogun na principal luta do show. Assim, intensificou a ajuda ao amigo Thales Leites, que bateu Tim Boetsch em janeiro deste ano. Em fevereiro, recebeu a promessa de lutar em maio, iniciando sua preparação.

"Quando comecei meu camp, já estava em um ritmo intenso de treinos, então tive um camp longo e muito bom. Mesmo sem lutar, me mantive em atividade, anlisei minhas lutas para corrigir algumas falhas e me sinto bem como nunca me senti na carreira antes. Os fãs verão um lutador que evoluiu muito. Serei mais agressivo e técnico", avisa.

Do outro lado do octógono, o brasileiro terá Ryan Jimmo, de 33 anos. No cartel, o canadense possui 19 vitórias e, assim como Bodão, quatro derrotas. Jimmo também está há um longo período sem lutar. Sua última apresentação foi em junho de 2014, no revés diante de Ovince St. Preux. Pelo momento que vivem e estilos de luta, o atleta da Nova União vê com bons olhos o casamento do combate. "Ele é um striker, tem o estilo parecido com o meu. Se ele vier para cima, um dos dois vai cair. Tenho certeza que vai ser ele. Será uma luta que os fãs vão gostar, porque não vai ter enrolação. Vou nocautear ou finalizar", encerra.

 

Campeã de Muay Thai finge ser amadora e acaba dando porrada nos instrutores

Germaine Yeap é uma lutadora profissional e campeã mundial de Muay Thai. Germaine chegou ao ginásio para ter a sua primeira aula de luta e acabou por dar uma lição aos instrutores.


Lição de hoje: Nunca subestimes o seu adversário!

 

Formiga aposta no jiu-jitsu contra Wilson Reis e mira chance pelo título

Potiguar enfrenta o compatriota neste sábado, dia 30 de maio, no UFC Goiânia, e após cinco lutas no UFC, pela primeira vez encara um especialista na arte suave.

Foto: Divulgação UFC

O potiguar Jussier Formiga já bateu à porta da sonhada disputa de título na categoria peso-mosca (até 57,1kg) do UFC em duas oportunidades. Neste sábado, dia 30 de maio, ele enfrenta Wilson Reis no UFC Fight Night 67, em Goiânia, em busca da terceira vitória consecutiva e um title shot diante do campeão Demetrious Johnson. Com cinco lutas e três triunfos no Ultimate, Formiga enfrenta, pela primeira vez no octógono, um adversário com característica parecida com a sua, já que Reis também é especialista e faixa-preta de jiu-jitsu. 

Atualmente na quarta posição no ranking da categoria, o lutador tem motivos para sonhar com o título em caso de vitória. À sua frente estão, apenas, Joseph Benavidez e John Dodson, que já o derrotaram, e tiveram suas chances pelo título, além de Ian McCall, que, por sua vez, vem de derrota para John Lineker. O campeão Demetrious Johnson chegou, inclusive, a citar, através das redes sociais, o nome de Formiga como um possível desafiante.

"Fico bastante feliz com essa lembrança do Johnson e é sempre bom saber que ele conhece meu jogo e deseja me enfrentar", celebra Formiga. "Meu objetivo é, primeiro, vencer o Wilson e depois, quem sabe, sonhar com essa disputa pelo título. Eu já tive a chance de conseguir o title shot duas vezes, mas acabei deixando passar por demorar para cair a ficha que eu estava no UFC. Só depois de um tempo adquiri essa confiança e consegui mostrar minhas habilidades nas duas últimas lutas".

Com o equilíbrio da categoria, Formiga sabe que não terá apenas que vencer e sim impressionar a organização diante de Wilson Reis, neste sábado, para chegar à disputa de título. "Essa vai ser a primeira vez que vou lutar com alguém tão forte de chão, e acho que a luta pode ser até melhor por isso. Estou mais acostumado a lutar com caras strikers, e procuro sempre treinar mais essa parte para igualar o nível dos meus adversários. Espero fazer um grande combate, aposto mais no meu jiu-jitsu para sair com uma bela finalização e chamar a atenção do UFC", conta.

O camp para o duelo deste sábado foi feito na academia Nova União, no Rio de Janeiro, que conta com um verdadeiro arsenal de atletas de alto nível nas categorias mais leves. "A preparação foi uma das melhores que já fiz, treinei bastante com caras duríssimos como Renan Barão, Dileno Lopes, Marlon Sandro e eles me ajudaram muito a chegar no ponto certo para esse duelo. Eu procurei também treinar com os canhotos para simular mais o Wilson e sinto que estou bem preparado para ele. Vai ser a minha quarta luta contra canhotos no UFC, já estou acostumado", afirma.

Aos 30 anos, Formiga estreou no UFC em 2012 com derrota para John Dodson. Após vencer Chris Cariaso e ser derrotado por Joseph Benavidez, o potiguar emendou duas vitórias seguidas sobre Scott Jorgensen e Zach Makovsky. Wilson Reis teve um histórico semelhante ao de seu adversário na organização. Após debutar em 2013 com triunfo sobre Ivan Menjivar, ele foi derrotado pelo compatriota Iuri Marajó e vem de vitórias em seus dois últimos duelos, sobre Joby Sanchez e Scott Jorgensen.